Cannabis Medicinal

Tricomas: O que são, quais os tipos e características

COMECE SEU TRATAMENTO AGORA

Os tricomas são apêndices epidérmicos encontrados em várias espécies de plantas. 

Eles apresentam diferentes formatos, isto é, podem ser estruturas semelhantes a pêlos ou estruturas secretoras (glândulas de resina). 

Isso faz com que eles tenham diversas funções.

Assim sendo, podem estar relacionados à redução da perda de água pela planta e à diminuição da incidência luminosa, pois formam uma densa cobertura que serve como uma barreira mecânica.

Além disso, os tricomas também estão ligados à produção de secreções. 

Essas substâncias, tais como óleos, néctar, sucos digestivos e resinas, apresentam uma variada quantidade de funções na planta.

Existem, por exemplo, aqueles que afastam insetos, predadores herbívoros ou fungos, além daqueles encontrados nas flores que tem a função de atrair polinizadores.

Mas não é só isso! Os tricomas encontrados na Cannabis são ainda mais importantes.

Isso porque excretam a resina carregada com todos os canabinóides (THC, CBD, CBN, dentre outros), terpenos e flavonóides, além de indicar o melhor momento para que a planta seja colhida a fim de se aproveitar da melhor forma todo seu potencial terapêutico.

Logo, os níveis de produção de tricomas atingem o seu ápice durante a fase de floração, produzindo a maioria dos elementos existentes na Cannabis neste ciclo de vida das plantas. 

Assim, monitorar a mudança na cor e aspecto do tricoma é o principal método usado para determinar a maturação da planta.

Tipos de tricomas

  • Apenas tricomas claros (imaturos) – como os tricomas claros são imaturos, há muito pouco canabinóide para se extrair da planta, o que torna desinteressante para a colheita, pois não estão presentes seus elementos terapêuticos.
blank
  • Tricomas claros e nublados misturados (semi-maduros) – momento em que os tricomas começam a atingir a maturidade.  Nessa fase o perfil completo de canabinóides e terpenos ainda está ausente, resultando assim em uma proporção mais alta de THC e CBD.
  • Tricomas nublados (maduros) – estes indicam o ápice de maturação. Nesta forma encontramos todos os elementos que resultam em efeitos terapêuticos da planta.
  • Tricomas mistos nublado e âmbar – à medida que os tricomas se tornam âmbar, o THC começa a se degradar e os níveis de CBN aumentam. Isso produz um nível naturalmente mais sedativo. Como ainda existem níveis significativos de THC e terpenos, a eficácia terapêutica permanece semelhante.
blank
  • Tricomas Âmbar – quando a maioria ou todos os tricomas ficam da cor âmbar, os canabinóides mais importantes terão se degradado e a planta terá pouca utilidade terapêutica.

Nesta dissertação apresentada junto a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP de Ribeirão Preto, como parte das exigências para obtenção de título de Mestre em Ciências, área: Biologia Comparada, podemos encontrar imagens microscópicas dos tricomas, além de vasta gama de informações sobre o assunto.

Conclusão

blank

Concluímos que os tricomas são elementos essenciais da Cannabis, pois são nestas estruturas secretoras que se concentram todos os elementos que estão ligados ao potencial terapêutico e medicinal da Cannabis.

Assim encontramos nestas secreções todos os canabinóides, flavonóides e terpenos que compõem a planta.

Além disso, conferem sabor, aroma e proteção para a planta e potencializam a sinergia de todos esses compostos, ocasionando o chamado efeito “entourage”.

Dúvidas? Deixe seu comentário abaixo!

COMECE SEU TRATAMENTO AGORA
blank

Autor

ReMederi

A Remederi é uma empresa brasileira de saúde, com a missão de promover qualidade de vida por meio do acesso a produtos, serviços e educação sobre Cannabis medicinal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress
remederi, anvisa

A REMEDERI preza pela saúde dos seus pacientes. Ancorados na transparência e lisura, estamos evoluindo para atender todas as regras sanitárias brasileiras da ANVISA e nos adequando à Portaria 344/1998 do MS e da RDC 96/2008, RDC 327/2019 e 660/2022.