Covid-19

Tipos de máscaras de proteção contra o Covid-19 (N95, Caseiras, Tecido)

COMECE SEU TRATAMENTO AGORA

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) está fazendo uma campanha em suas redes sociais para incentivar o uso de máscara como forma de proteção e auxílio no combate ao covid-19.

Os posts estão sendo lançados com a hasthag #EuUsoMáscara no Facebook, Twitter, LinkedIn e Instagram da agência.

As mensagens alertam que os benefícios da utilização do equipamento são coletivos, uma vez que, ao usar a máscara, o cidadão se protege contra o vírus que pode estar circulando à sua volta.

Além disso, minimiza consideravelmente a transmissão do coronavírus aos demais, caso a pessoa esteja com a doença e ainda não saiba.

Assim, juntamente com os cuidados básicos de higiene, distanciamento e isolamento social, a utilização do equipamento de proteção não é apenas um cuidado pessoal, mas um compromisso com a saúde de toda a sociedade.

Mas qual é o tipo de máscara mais eficiente e recomendado contra o Covid-19?

Vejamos os tipos existentes de máscaras de proteção:

Máscaras de tecido ou caseiras

Em Maio, órgãos internacionais de saúde, como o CDC (Agência do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos) e o ECDC (Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças), passaram a recomendar o uso de máscaras de tecido pela população geral como estratégia complementar no controle da epidemia do coronavírus.

No início do mês, a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) divulgou Orientações Gerais em que recomenda que as máscaras profissionais (material médico cirúrgico industrializado) sejam priorizadas para profissionais de saúde e sugere que a população pode produzir suas próprias máscaras caseiras, utilizando determinados tecidos.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) também divulgou um guia atualizado com orientações sobre a utilização de máscaras no contexto da COVID-19.

O organismo internacional voltou a reforçar que as máscaras cirúrgicas e profissionais devem ser priorizadas para profissionais de saúde.
Por sua vez, o vice-diretor da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Jarbas Barbosa, abordou o tema informando que a ciência mostra que o uso de máscaras cirúrgicas é recomendável para pessoas que apresentam sintomas e aquelas que estão cuidando de um paciente contaminado, além dos profissionais de saúde.

“Quando adotamos uma recomendação, precisamos examinar a ciência por trás dessa recomendação e a viabilidade dela. Alguns países têm recomendado o uso de máscaras caseiras, feitas com panos. Não temos evidências científicas fortes de que isso terá um papel importante na redução da velocidade de transmissão. Porém, em algumas semanas, com muitos países fazendo esse tipo de recomendação, poderemos ter estudos para mostrar qual o efeito dessas medidas”.

Continuou, alertando que “a população precisa manter todas as outras medidas, como lavar as mãos, cobrir a tosse e o espirro, evitar contato próximo com outras pessoas. Se você estiver usando [máscaras caseiras], não se esqueça de todas as outras medidas, porque para elas temos 100% de certeza de que protegerão contra a transmissão da COVID-19”.

O Ministério da Saúde também publicou recomendações acerca do uso de máscaras caseiras.

Máscaras cirúrgicas

São aquelas utilizada por profissionais da saúde para conter bactérias das gotículas de aerossóis provenientes do nariz e da boca.

A OPAS e a OMS recomendam que as máscaras cirúrgicas sejam utilizadas por:

  • Pessoas com sintomas respiratórios, como tosse ou dificuldade de respirar, inclusive ao procurar atendimento médico profissionais de saúde e pessoas que prestam atendimento a indivíduos com sintomas respiratórios profissionais de saúde, ao entrar em uma sala com pacientes ou tratar um indivíduo com sintomas respiratórios

Apesar das recomendações acima descritas, as pessoas estão procurando pelas máscaras cirúrgicas simples, feitas de um material chamado polipropileno.

Segundo o guia técnico publicado pelo Ministério da Saúde, caso a pessoa opte por usar máscaras cirúrgicas, certos procedimentos são necessários para garantir sua eficácia e evitar risco de transmissão associado ao uso e descarte incorretos.

Devem ser seguidos os seguintes passos:
Coloque a máscara cuidadosamente para cobrir a boca e nariz e amarre com segurança para minimizar os espaços entre a face e a máscara;

Enquanto estiver em uso, evite tocar na máscara;

Remova a máscara usando a técnica apropriada (ou seja, não toque na frente, mas remova sempre por trás);

Após a remoção ou sempre que tocar inadvertidamente em uma máscara usada, deve- se realizar a higiene das mãos;

Substitua as máscaras usadas por uma nova máscara limpa e seca assim que esta tornar-se úmida;

Não reutilize máscaras descartáveis.

Máscaras de proteção respiratória

São aquelas que devem ser utilizadas em ambiente médico-hospitalar, uma vez que, trata-se de equipamento de proteção individual que filtra impurezas presentes no ar que podem causar danos a saúde.

Este tipo de máscara é conhecido como um respirador purificador de ar, semi-facial e filtrante de partículas. Foi desenvolvido para proteger as vias respiratórias contra diversos tipos de infecções.

De acordo com determinação da ANVISA presente na Orientação Técnica GVIMS/GGTES/ANVISA Nº 04/2020, os profissionais de saúde devem utilizar máscara cirúrgica durante a realização de atendimento e máscara de proteção respiratória N95/PFF2 durante a realização de procedimentos.

A máscara N95 refere-se a uma classificação de filtro para aerossóis adotada nos EUA e equivale, no Brasil, à PFF2.

Podem ser utilizadas também para proteção contra outros materiais particulados, como poeiras, névoas e fumos, encontrados nos ambientes de trabalho das áreas agrícola e industrial.

Este tipo de máscara deve apresentar eficiência de filtração mínima de 94% contra a penetração de aerossóis particulados não oleosos, enquanto o seu grau máximo de fuga pode atingir somente até 8%.

Conclusão

Concluímos que fica claro que existem diversos tipos de máscaras de proteção contra o Covid-19, como a N95 e a de tecido.

Além desta importante proteção facial, é crucial que as pessoas mantenham os cuidados básicos de higiene, o devido distanciamento e, se for possível, o isolamento social.

Somente tomando todas estas providências o país conseguirá vencer esta dura batalha que já tirou milhares de vidas.

COMECE SEU TRATAMENTO AGORA
blank

Autor

ReMederi

A Remederi é uma empresa brasileira de saúde, com a missão de promover qualidade de vida por meio do acesso a produtos, serviços e educação sobre Cannabis medicinal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress
remederi, anvisa

A REMEDERI preza pela saúde dos seus pacientes. Ancorados na transparência e lisura, estamos evoluindo para atender todas as regras sanitárias brasileiras da ANVISA e nos adequando à Portaria 344/1998 do MS e da RDC 96/2008, RDC 327/2019 e 660/2022.