Cannabis Medicinal

Ansiedade: qual é a melhor opção de tratamento, canabidiol ou benzodiazepínico?

COMECE SEU TRATAMENTO AGORA

Ansiedade é o termo utilizado para várias situações do dia a dia que causam nervosismo, apreensão, preocupação e medo.

Assim sendo, ansiedade é uma sensação que todo indivíduo apresenta diante de situações cotidianas como, por exemplo, falar em público, fazer uma entrevista de emprego, passar por avaliação, dentre outras.

Essas reações diante de situações de estresse ou condições inesperadas são consideradas como algo natural, isto é, ansiedade dentro da normalidade.

Entretanto, algumas pessoas experimentam este tipo de comportamento de forma mais intensa e frequente. Dependendo do grau e da intensidade, esta situação pode ser considerada como ansiedade patológica.

Isto ocorre no momento em que a ansiedade passa a afetar consideravelmente o cotidiano do indivíduo, prejudicando a sua vida social, profissional e chegando ao ponto de desencadear doenças físicas.

A ansiedade patológica também pode estar relacionada a outros transtornos, como por exemplo, o Transtorno de Pânico, Estresse Pós-Traumático e o Transtorno Obsessivo Compulsivo, dentre outros.

Desta forma, a ansiedade patológica, diferentemente da comum, precisa ser tratada.

Em outras palavras, a ansiedade é um dos maiores problemas da atualidade. Como o estresse, se desenvolve no dia a dia e, se não tratada, pode potencializar o desenvolvimento de outras patologias na pessoa.

Atualmente um dos tratamentos mais utilizados para combater os sintomas da ansiedade e seus transtornos decorrentes é utilizando um grupo de substâncias chamado benzodiazepínicos, em virtude do seu efeito ansiolítico.

Porém, estudos envolvendo o canabidiol (CBD) vêm comprovando a sua eficácia ansiolítica, sem produzir os efeitos colaterais dos benzodiazepínicos. Vejamos. 

Os benzodiazepínicos estão entre os medicamentos mais utilizados no mundo todo e no Brasil. 

Acontece que os benzodiazepínicos, quando utilizados com relativa frequência, possuem comprovadamente potencial de causar dependência química.

Em outras palavras, esse medicamento pode viciar. 

Consequentemente, sem a droga, o indivíduo passa a sentir muita irritabilidade, insônia excessiva, sudorese, tremores, dentre outros efeitos causados pela sua abstinência. 

Da mesma forma, há também o desenvolvimento de tolerância, isto é, o indivíduo acostumado com a droga precisa aumentar gradativamente a dose ingerida para obter o efeito desejado.

Outro grave problema ligado ao uso dos benzodiazepínicos diz respeito à possibilidade de overdose e morte em razão do seu uso inadequado.

Este texto publicado pelo National Institute on Drug Abuse detalha as taxas de mortalidade por overdose nos EUA.

No que diz respeito às mortes provocadas pelo uso de benzodiazepínicos, os números são preocupantes, principalmente quando estes são utilizados juntamente com opióides. 

No gráfico em que se apresenta as “Mortes por overdose de drogas nacionais envolvendo benzodiazepínicos, por envolvimento com opióides, número entre todas as idades, 1999-2018”, os números são detalhados. Vejamos:

“As mortes por overdose de drogas envolvendo benzodiazepínicos aumentaram de 1.135 em 1999 para 11.537 em 2017. Entre 2017 e 2018, as mortes diminuíram para 10.724.” 

Por sua vez, o canabidiol (CBD) é um fitocanabinóide presente na cannabis que também possui efeito ansiolítico. 

O produto contendo este canabinóide pode oferecer uma alternativa mais saudável e menos perigosa para tratar da ansiedade e seus transtornos decorrentes, uma vez que, não apresenta os citados efeitos colaterais dos benzodiazepínicos.

Este artigo publicado recentemente intitulado “Uso de Canabidiol para o Tratamento da Ansiedade: Uma Breve Síntese de Evidências Pré-Clínicas e Clínicas”, esclarece que:

“As farmacoterapias atuais para transtornos de ansiedade estão associadas a efeitos adversos e baixa eficácia. Canabidiol (CBD) é um constituinte da Cannabis planta, que tem propriedades terapêuticas potenciais para várias indicações. Após a recente legalização da cannabis, o CBD tem chamado a atenção cada vez mais como um tratamento potencial, pois a maioria dos dados existentes sugere que é seguro, bem tolerado, tem poucos efeitos adversos e não demonstra potencial para abuso ou dependência em humanos

O artigo cita três ensaios clínicos que estão em andamento e aponta:

“Três ensaios clínicos em andamento estão investigando os efeitos do CBD como um tratamento potencial para transtornos de ansiedade. Van der Flier et al. estão examinando os efeitos de uma dose semanal de 300 mg de CBD administrada por via oral durante 8 semanas, em indivíduos com transtornos fóbicos. Um ensaio clínico de fase 3 em andamento está explorando o uso de 200 mg variando até 800 mg de CBD administrado em cápsulas de óleo, para o tratamento de GAD, SAD, transtorno do pânico e agorafobia. Finalmente, um ensaio clínico aberto de fase 2 está atualmente examinando os efeitos de uma tintura sublingual de 1,0 mg de CBD (10 mg / mL de CBD) três vezes ao dia durante 4 semanas, em pacientes com diagnóstico de transtorno de ansiedade. Esses estudos são de grande importância porque a maioria dos estudos que avaliam os efeitos do CBD sobre a ansiedade foi realizada em voluntários saudáveis, e os ensaios clínicos envolvendo pacientes com TAS usaram amostras pequenas, não incluíram controles com placebo e não estabeleceram uma dose-resposta relação entre os níveis plasmáticos de CBD e as medições dos sintomas de ansiedade. Além disso, estudos clínicos futuros são necessários para examinar os efeitos do CBD em outros transtornos de ansiedade, incluindo TAG, transtorno de pânico e transtorno fóbico, bem como condições relacionadas à ansiedade, como PTSD e TOC”.

Por sua vez, este estudo intitulado “Canabidiol como potencial tratamento para transtornos de ansiedade”, apresenta como Resumo e relevância clínica:

Evidências de estudos em humanos apoiam fortemente o potencial do CBD como um tratamento para transtornos de ansiedade: em doses orais variando de 300 a 600 mg, o CBD reduz a ansiedade induzida experimentalmente em controles saudáveis, sem afetar os níveis de ansiedade basais, e reduz a ansiedade em pacientes com SAD. Resultados limitados em indivíduos saudáveis ​​também apóiam a eficácia do CBD em intensificar agudamente a extinção do medo, sugerindo potencial para o tratamento de PTSD ou para intensificar a terapia comportamental cognitiva. Os achados de neuroimagem fornecem evidências de alvos neurobiológicos que podem estar subjacentes aos efeitos ansiolíticos do CBD, incluindo ativação reduzida da amígdala e conectividade da amígdala pré-frontal medial alterada, embora os achados atuais sejam limitados por tamanhos de amostra pequenos e uma falta de replicação independente. Mais estudos também são necessários para estabelecer se a dosagem crônica, além da dosagem aguda de CBD, é ansiolítica em humanos. Além disso, os achados clínicos estão atualmente limitados ao SAD, enquanto a evidência pré-clínica sugere o potencial do CBD para tratar múltiplos domínios de sintomas relevantes para GAD, PD e, particularmente, PTSD”.

Este tipo de estudo também esta sendo feito no país.

Esta pesquisa realizada pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto em parceria com a Faculdade de Ciências Farmacêuticas, analisou o comportamento de um grupo de 24 pessoas diagnosticadas com TAS (Transtorno de Ansiedade Social) que nunca receberam qualquer tipo de tratamento, além de outras 12 saudáveis para atuarem como grupo de controle.

Todos os voluntários tinham que preparar um discurso de 4 minutos para ser lido diante de uma câmera, enquanto assistiam à própria imagem na televisão. 

Duas horas antes da atividade, metade dos voluntários diagnosticados com TAS recebeu uma dose de 600 mg de CBD. A outra parte dos voluntários com TAS recebeu placebo.

Os outros 12 participantes saudáveis não receberam nada e todos foram avaliados através de testes fisiológicos e psicológicos antes e durante o discurso.

A parte que recebeu placebo apresentou um nível de ansiedade consideravelmente mais alto que o grupo de controle, apresentando maior comprometimento cognitivo e desconforto.

Por sua vez, os que receberam o CBD apresentaram redução notável da ansiedade, com desempenho cognitivo melhor e menos desconforto. 

Concluiu o estudo:

“Portanto, os efeitos de uma única dose de CBD, observados neste estudo diante de um dos principais estímulos fóbicos do TAS, são uma indicação promissora de início rápido do efeito terapêutico em pacientes com TAS”.

Por todo exposto, podemos concluir que o canabidiol se apresenta como ótima alternativa para o tratamento de ansiedade.

Pesquisas e estudos estão sendo feitos e os resultados são muito promissores para que este canabinóide seja utilizado para esta finalidade, sem apresentar os efeitos colaterais e riscos inerentes ao medicamento tradicional amplamente utilizado no Brasil e no mundo.  

Abreviaturas citadas neste texto:

GAD – distúrbio de ansiedade generalizada

SAD –  transtorno de ansiedade social

PTSD – transtorno de estresse pós-traumático

TOC – transtorno obsessivo-compulsivo

PD – transtorno de pânico

TAS – transtorno de Ansiedade Social Generalizada

COMECE SEU TRATAMENTO AGORA
blank

Autor

ReMederi

A Remederi é uma empresa brasileira de saúde, com a missão de promover qualidade de vida por meio do acesso a produtos, serviços e educação sobre Cannabis medicinal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress
remederi, anvisa

A REMEDERI preza pela saúde dos seus pacientes. Ancorados na transparência e lisura, estamos evoluindo para atender todas as regras sanitárias brasileiras da ANVISA e nos adequando à Portaria 344/1998 do MS e da RDC 96/2008, RDC 327/2019 e 660/2022.