O guia completo sobre a Cannabis

Por muitas décadas, a cannabis foi uma planta marginalizada e alvo de inúmeras inverdades que ainda se perpetuam nos dias de hoje. No entanto, estamos testemunhando um crescimento significativo nas pesquisas sobre o uso desta planta milenar no tratamento de diversas condições físicas e mentais.

Nesta página, você encontrará informações detalhadas sobre o que é a cannabis, seu vasto potencial terapêutico, e como utilizá-la de maneira responsável e eficaz. Além disso, explicamos as regulamentações vigentes no Brasil para garantir que você esteja bem informado sobre a legalidade e o acesso seguro à cannabis medicinal.

Nosso objetivo é responder às principais dúvidas e desmistificar os grandes mitos que cercam o uso da cannabis. Queremos fornecer um conhecimento profundo e confiável para que você possa tomar decisões bem fundamentadas sobre o uso da cannabis medicinal.

O que é a Cannabis?

A cannabis, conhecida popularmente como maconha, é uma planta pertencente ao gênero Cannabis da família Cannabaceae. Existem três espécies principais de cannabis: Cannabis sativa, Cannabis indica e Cannabis ruderalis. Cada uma dessas espécies possui características distintas e pode ser utilizada para diferentes finalidades, incluindo a medicinal e industrial.

Principais componentes

A planta da cannabis é formada por centenas de compostos, sendo os mais conhecidos os canabinóides, os terpenos e os flavonoides. Canabinóides
Os canabinóides são substâncias naturais ou artificiais que ativam os receptores CB1 e CB2 no corpo humano. Essa interação tem grande potencial terapêutico, beneficiando o sistema nervoso e imunológico.

O sistema endocanabinóide, junto com os canabinóides, regula e reduz danos no corpo, beneficiando vários sistemas e células.

A ciência já catalogou mais de 400 canabinóides diferentes.

Terpenos

Os terpenos são compostos aromáticos que dão à cannabis seu aroma e sabor distintos. Além de contribuírem para a experiência sensorial, os terpenos também possuem propriedades terapêuticas e podem interagir com os canabinoides para potencializar seus efeitos, um fenômeno conhecido como efeito entourage.

Flavonoides

Os flavonoides são compostos que também contribuem para o aroma e o sabor da cannabis, além de terem propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias. Eles trabalham em conjunto com os canabinoides e terpenos para oferecer benefícios terapêuticos adicionais.

Cannabis medicinal de forma simples, rápida e segura

Cannabis medicinal de forma simples, rápida e segura

Ajudamos a viabilizar o acesso a medicamentos à base de Cannabis no Brasil para pacientes com receita médica

Ajudamos a viabilizar o acesso a medicamentos à base de Cannabis no Brasil para pacientes com receita médica

Pluralidade da Cannabis

blank
blank
blank
blank
blank
blank

Mitos e Verdades Sobre a Cannabis Medicinal

“A Cannabis Medicinal é Viciante”
Embora a cannabis possa causar dependência em algumas pessoas, o risco é relativamente baixo em comparação com muitos medicamentos prescritos, como opióides. A dependência de cannabis ocorre em uma pequena porcentagem de usuários e geralmente é menos severa do que a dependência associada a substâncias como álcool, tabaco e opióides.
“A Cannabis Medicinal Não é Segura”
Quando usada corretamente e sob supervisão médica, a cannabis medicinal é considerada segura. É importante seguir as orientações de dosagem e monitorar os efeitos colaterais. Como qualquer medicamento, a segurança depende do uso adequado.
“Todos os Produtos de Cannabis Medicinal São Iguais”
Existem muitas variedades de cannabis e diferentes produtos com variadas concentrações de canabinóides. Cada produto pode ter diferentes efeitos terapêuticos. Por exemplo, o CBD (canabidiol) é conhecido por suas propriedades anti-inflamatórias e anticonvulsivantes, enquanto o THC (tetraidrocanabinol) é mais eficaz no controle da dor e náusea. A composição específica de canabinóides e terpenos varia entre os produtos e pode influenciar significativamente os efeitos terapêuticos.
 “A Cannabis Medicinal Mata Células Cerebrais”
Não há evidências científicas que comprovem que a cannabis medicinal mata células cerebrais. Na verdade, alguns estudos sugerem que certos canabinóides podem ter propriedades neuroprotetoras, ajudando a proteger e regenerar células cerebrais em condições neurodegenerativas como a doença de Alzheimer e a esclerose múltipla.
“A Cannabis Medicinal Só Pode Ser Fumada”
Existem diversas formas de consumir cannabis medicinal além de fumar. Métodos alternativos incluem vaporização, óleos sublinguais, cápsulas, comestíveis, tópicos e até supositórios. Esses métodos oferecem opções para pacientes que não podem ou não querem fumar, proporcionando formas mais controladas e, muitas vezes, mais eficazes de administração.
“A Cannabis Medicinal Não Tem Comprovação Científica”
Há uma quantidade significativa de pesquisas científicas que apoiam o uso da cannabis medicinal para várias condições de saúde. Estudos clínicos e revisões científicas têm demonstrado a eficácia da cannabis em tratar a dor crônica, espasticidade em esclerose múltipla, náusea induzida por quimioterapia, epilepsia refratária e muitas outras condições. 
“A Cannabis Medicinal É Ilegal”
A legalidade da cannabis medicinal varia amplamente de país para país e, em alguns casos, de estado para estado. Alguns lugares têm regulamentações rigorosas que permitem o uso medicinal sob prescrição médica, como é o caso do Brasil.
“O Uso de Cannabis Medicinal Leva ao Uso de Drogas Mais Pesadas”
O conceito de "porta de entrada" é amplamente debatido e a maioria das evidências sugere que o uso de cannabis não causa diretamente o uso de drogas mais pesadas. Muitos fatores, incluindo predisposição genética e ambiente social, desempenham um papel mais significativo na progressão para o uso de outras substâncias. Em muitos casos, a cannabis medicinal é usada como uma alternativa mais segura a medicamentos prescritos potencialmente viciantes, como opióides.
Previous slide
Next slide

Cannabis medicinal de forma simples, rápida e segura

Cannabis medicinal de forma simples, rápida e segura

Ajudamos a viabilizar o acesso a medicamentos à base de Cannabis no Brasil para pacientes com receita médica

Ajudamos a viabilizar o acesso a medicamentos à base de Cannabis no Brasil para pacientes com receita médica

plugins premium WordPress

Principais Subclasses

THC Delta 9 (Tetrahidrocanabinol)
O THC é o canabinóide mais conhecido da cannabis, responsável pelos efeitos psicoativos. Ele se liga principalmente aos receptores no cérebro. É usado para reduzir dor, náusea e estresse, sendo útil em tratamentos para câncer, fibromialgia, dor crônica, insônia e perda de apetite.

THC Delta 8
O THC Delta 8 é similar ao THC Delta 9, mas menos potente psicotrópicamente. Ele se liga ao receptor CB1 no sistema nervoso central e pode atuar como broncodilatador, tratando infecções pulmonares.

THCa (Ácido Tetrahidrocanabinólico)
O THCa é a forma não psicoativa do THC, presente na cannabis crua. Ele não altera o estado mental e é melhor absorvido em sua forma natural, como em sucos. Ajuda a estimular o apetite e pode reduzir a proliferação de células cancerígenas.

THCv (Tetrahidrocanabivarina)
O THCV é psicoativo, encontrado principalmente em espécies sativas. Ao contrário do THC, ele suprime o apetite e pode tratar dor neuropática e epilepsia. Também potencializa os efeitos medicinais do THC.

CBD (Canabidiol)
O CBD é um canabinóide sem efeitos psicoativos, famoso por suas propriedades medicinais. É usado para tratar epilepsia, ansiedade e Alzheimer, além de ter efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios.

CBN (Canabinol)
O CBN se liga aos receptores CB2, sendo mais relevante para o sistema imunológico. Atua como anticonvulsivante, anti-inflamatório e sedativo, ajudando no sono e regulando o sistema imunológico.

CBG (Cannabigerol)
O CBG é um potente antibacteriano, superior ao THC e CBD contra bactérias gram-positivas e fungos. Não é psicoativo e pode combater dor, inflamação e náuseas. Ainda em estudo, pode auxiliar no tratamento de epilepsia e glaucoma.

CBC (Canabicromeno)
O CBC é um canabinóide não psicoativo com potencial anticancerígeno. Combate a inflamação sem ativar receptores endocanabinóides, sendo mais eficaz quando combinado com outros canabinóides como THC ou CBD.

CBDa (Ácido Canabidiólico)
O CBDA é um canabinóide não psicoativo que evita a disseminação de células cancerígenas e retarda o crescimento de bactérias, útil no tratamento de HIV/AIDS e Doença de Crohn.

CBDv (Canabidivarina)
O CBDV, semelhante ao CBD, não é psicoativo e reduz convulsões, além de ser benéfico para tratar distúrbios da dor, humor, esclerose múltipla, convulsões, inflamação e náuseas.

Principais terpenos

Canflavina A e B:
Propriedades: Anti-inflamatórias.
Benefícios: Podem ajudar a reduzir a inflamação sem os efeitos colaterais dos medicamentos anti-inflamatórios convencionais.

Apigenina:
Propriedades: Ansiolítica, anti-inflamatória.
Benefícios: Pode ajudar a reduzir a ansiedade e a inflamação.

Kaempferol:
Propriedades: Antioxidante, neuroprotetora.
Benefícios: Combate os radicais livres e pode ajudar a proteger o cérebro contra danos.

Canflavina A e B:
Propriedades: Anti-inflamatórias.
Benefícios: Podem ajudar a reduzir a inflamação sem os efeitos colaterais dos medicamentos anti-inflamatórios convencionais.

Luteolina:
Propriedades: Antioxidante, anti-inflamatória.
Benefícios: Protege as células contra danos oxidativos e reduz a inflamação.

Vitexina:
Propriedades: Antioxidante, anti-inflamatória.
Benefícios: Auxilia na proteção das células contra danos e na redução da inflamação.

Principais Flavonoides

Mirceno:
Aroma: Terroso, almiscarado, com toques de cravo.
Benefícios: Relaxante, sedativo, anti-inflamatório, analgésico.

Limoneno:
Aroma: Cítrico, como limão e laranja.
Benefícios: Elevador de humor, ansiolítico, antifúngico, antibacteriano.

Pineno:
Aroma: Pinheiro, ervas.
Benefícios: Anti-inflamatório, broncodilatador, melhora a memória, alerta.

Linalol:
Aroma: Floral, lavanda.
Benefícios: Sedativo, ansiolítico, analgésico, anticonvulsivo.

Cariofileno:
Aroma: Apimentado, amadeirado, cravo.
Benefícios: Anti-inflamatório, analgésico, protetor gastrointestinal.

Terpinoleno:
Aroma: Floral, cítrico, herbal.
Benefícios: Sedativo, antioxidante, antibacteriano, antifúngico.

Humuleno:
Aroma: Terroso, amadeirado, com toques de lúpulo.
Benefícios: Anti-inflamatório, supressor de apetite, antibacteriano.

Ocimeno:
Aroma: Frutado, floral, doce.
Benefícios: Antifúngico, antibacteriano, antiviral, antiespasmódico.

remederi, anvisa

A REMEDERI preza pela saúde dos seus pacientes. Ancorados na transparência e lisura, estamos evoluindo para atender todas as regras sanitárias brasileiras da ANVISA e nos adequando à Portaria 344/1998 do MS e da RDC 96/2008, RDC 327/2019 e 660/2022.