Saude

Como é o uso de CBD para idosos: principais indicações

COMECE SEU TRATAMENTO AGORA

Doenças relacionadas ao avanço da idade reduzem a qualidade de vida e, considerando o impacto de certos tratamentos, o uso de CBD para idosos desponta como uma solução.

Um exemplo disso são os medicamentos para combater a depressão e a ansiedade, tradicionalmente com muito mais contraindicações do que o canabidiol.

Embora sejam eficazes, em muitos casos, seus efeitos sedativos e hipnóticos causam dependência, reduzindo ainda mais a já precária autonomia de um idoso enfermo.

Assim, quanto mais natural for a opção terapêutica, menores os riscos à saúde para quem já sofre de alguma limitação.

É nesse contexto que se destaca o uso do CBD, cuja aplicação no tratamento das doenças típicas do envelhecimento nós vamos apresentar a partir de agora.

Como é o uso de CBD para idosos?

CBD, ou canabidiol, é uma das principais substâncias ativas presentes nas plantas do gênero cannabis, com destaque para a cannabis sativa.

Diferentemente do tetrahidrocanabinol (THC), o CBD não provoca qualquer efeito alucinógeno, tampouco a dependência química associada ao uso recreativo.

Sua aplicação com fins medicinais é possível em razão da sua atuação no sistema endocanabinoide, cuja função básica é manter o equilíbrio das funções corporais (homeostase).

O uso de CBD para idosos se justifica pelo fato de o CBD agir no organismo naturalmente, por meio dos receptores celulares CB1 e CB2.

Indicações de uso de CBD para idosos

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (em inglês), em 2050, 80% dos idosos viverão em países de baixa e média renda.

A entidade alerta ainda para o aumento no ritmo de envelhecimento da população.

São motivos para que a sociedade e as comunidades médica e científica pensem desde já em soluções para melhorar a qualidade de vida das pessoas idosas.

O CBD se insere nesse contexto, já que, ao contrário dos medicamentos tradicionais, age naturalmente no organismo, o que faz dele uma substância com poucos efeitos adversos, seja no curto, médio ou longo prazo.

Confira então algumas das enfermidades que podem ser tratadas com esse composto.

Alzheimer

A Doença de Alzheimer é um processo degenerativo e irreversível que afeta a memória e a capacidade cognitiva.

Sem tratamento, ela leva à completa destruição das funções cerebrais básicas e à morte.

Mas existe uma esperança para tratar desse tipo de demência, que afeta cerca de 1,2 milhão de pessoas no Brasil: o CBD.

É o que sugere um estudo realizado pela Unicamp, no qual pesquisadores descobriram que o composto pode ajudar a restaurar as conexões perdidas entre os neurônios.

O mesmo efeito é corroborado por pesquisas realizadas na USP, que por sinal é uma referência mundial na pesquisa sobre canabinoides.

Parkinson

A USP também lidera um estudo em que destaca o uso do canabidiol (CBD) no tratamento da doença de Parkinson e suas comorbidades.

Assinado pelos pesquisadores Rafael dos Santos, Jaime Hallak e José Alexandre Crippa, os estudos levaram à conclusão de que o CBD possui propriedades antiparkinsonianas.

Essa conclusão é compartilhada em um artigo (em inglês) de Carlos Rieder para a Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), publicado na revista National Library of Medicine (NIH).

Ansiedade

Desde que ficou evidente a eficácia do CBD no tratamento de epilepsia, aprofundaram-se as pesquisas sobre os seus efeitos no combate aos transtornos de comportamento.

Um desses transtornos, a ansiedade, é quase um problema de saúde pública no Brasil, país líder na prevalência desse transtorno.

Nesse caso, as notícias também são boas, já que há evidências científicas de que o CBD é eficaz para tratar da ansiedade.

É isso que sugere um estudo em parceria entre pesquisadores americanos e espanhóis (em inglês), no qual ficou demonstrada a eficácia do CBD na redução de comportamentos de ansiedade.

Depressão

Os efeitos do CBD no tratamento contra a depressão também vêm sendo exaustivamente estudados, e os resultados são promissores.

Assim sugere um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Miguel Hernández, em Alicante, na Espanha.

Em testes feitos com roedores, eles constataram que o CBD preveniu comportamentos depressivos, além de promover efeito neuroprotetor.

Isso traz esperança para a parcela da população idosa afetada pela depressão, a que mais sofre com esse transtorno.

É o que aponta uma pesquisa do IBGE, segundo a qual, 13% dos brasileiros entre 60 e 64 anos de idade apresentam algum tipo de depressão.

Epilepsia

O tratamento contra a epilepsia com CBD foi um dos primeiros a ter o seu potencial identificado e é provavelmente o que tem maior base científica.

Como destaca uma pesquisa conduzida por cientistas italianos (em inglês), ele vem sendo extensivamente estudado por sua potencial eficácia no tratamento dessa doença neurológica.

O mesmo estudo destaca a eficiência do CBD quando administrado nos tratamentos junto com os antiepilépticos convencionais.

Por sua vez, a pesquisadora Melody Ryan destaca (também em inglês) o papel do CBD no tratamento da epilepsia resistente e em casos de epilepsia infantil.

Dor crônica

É relativamente comum idosos se queixarem de dores, algumas delas causadas por problemas articulares ou em decorrência do processo de envelhecimento.

Nesse sentido, o CBD pode representar um grande alívio, como mostra um estudo realizado nos Estados Unidos (em inglês).

Os testes feitos em 253 participantes revelaram que o CBD foi eficaz no tratamento da dor crônica, reduzindo até a dependência de medicamentos opioides.

Osteoporose

Estima-se que, no Brasil, pelo menos 10 milhões de pessoas sofram de osteoporose, uma doença degenerativa que enfraquece os ossos.

A ciência já tem evidências de que o sistema endocanabinoide desempenha um importante papel na regulação da massa óssea, o que abre caminhos para tratamentos à base de CBD.

Essa é uma das conclusões do pesquisador Aymen Idris, autor de uma pesquisa (em inglês) que sugere que os endocanabinoides influenciam a remodelação óssea.

Benefícios do canabidiol para idosos

As pesquisas sugerem a eficácia do CBD nos tratamentos contra várias doenças e outras vantagens, se comparado com certos medicamentos.

Como vimos, ao ser administrado para tratar da dor, o canabidiol é uma opção que, além de eficaz, reduz a dependência causada pelos opioides.

A propósito, isso também vale para os tratamentos em casos de ansiedade e depressão, em que os fármacos tradicionais apresentam sempre um alto risco de causar dependência, além de outros efeitos colaterais indesejados..

Há riscos no uso de CBD por idosos?

Embora seja uma solução apontada como natural e de baixo risco, o CBD pode apresentar certos efeitos colaterais, como sugere um artigo publicado pela Universidade de Harvard (em inglês).

Segundo os autores, esses efeitos incluem náusea, fadiga e irritabilidade. 

Além disso, o CBD pode afinar o sangue, competindo pelas enzimas hepáticas que decompõem os medicamentos.

De qualquer forma, os efeitos adversos em idosos podem ser mais ou menos intensos, dependendo principalmente de possíveis medicamentos que estejam sendo administrados em paralelo. 

Já sabemos, porém, que os potenciais efeitos positivos superam os eventuais efeitos adversos, podendo o CBD ser uma excelente alternativa aos tratamentos tradicionais.

Como idosos podem conseguir CBD?

No Brasil, a compra de medicamentos contendo CBD via importação é regulada pela Anvisa.

Para isso, o primeiro passo é conseguir uma receita de um médico prescritor, que você pode encontrar entrando em contato com a Remederi por WhatsApp.

De posse da receita, o próximo passo é obter a autorização de importação junto à Anvisa, preenchendo um formulário disponibilizado online no site da agência. Este passo também pode ser auxiliado pelo SAC da Remederi.

Feito isso, basta esperar pela resposta da entidade, que levava em média 10 dias para se manifestar, e hoje pode acontecer imediatamente.

Caso a compra seja permitida, basta adquirir um produto que seja autorizado pela Anvisa, conforme uma lista disponibilizada pela entidade.

Conclusão

O uso de CBD para idosos é uma realidade, e a tendência aponta para um número crescente de pessoas nessa faixa etária recorrendo a essa substância.

A Remederi está ao lado das pessoas que precisam de canabidiol em seus tratamentos, facilitando o acesso a medicamentos e a médicos prescritores.Acesse nossa página de pacientes, saiba como comprar online ou encontre o especialista que vai orientar você em seu tratamento.

COMECE SEU TRATAMENTO AGORA
blank

Autor

ReMederi

A Remederi é uma empresa brasileira de saúde, com a missão de promover qualidade de vida por meio do acesso a produtos, serviços e educação sobre Cannabis medicinal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress
remederi, anvisa

A REMEDERI preza pela saúde dos seus pacientes. Ancorados na transparência e lisura, estamos evoluindo para atender todas as regras sanitárias brasileiras da ANVISA e nos adequando à Portaria 344/1998 do MS e da RDC 96/2008, RDC 327/2019 e 660/2022.