Histórias com cannabis medicinal

Histórias com cannabis medicinal: Relato de tratamento para fibromialgia

COMECE SEU TRATAMENTO AGORA

A equipe da ReMederi tem o propósito genuíno de promover o bem-estar e saúde às pessoas no Brasil através da cannabis medicinal.

Acreditamos que para isso, é necessário conhecer todos os lados envolvidos neste segmento.

Fazemos parte de diversas comunidades e grupos, para estarmos conectados com pessoas que estão em tratamento com a cannabis medicinal.

Dessa forma, tivemos acesso ao relato emocionante de Isa Pimentel, que usa o óleo de cannabis medicinal para o tratamento da fibromialgia.

Pedimos autorização a ela para publicar o depoimento na íntegra, pois acreditamos que essa história pode ajudar e motivar outras pessoas.

Confira abaixo:

“Venho deixar meu relato e que este possa contribuir na melhora de todos.

Alguns processos são mais lentos e quando falamos de dor qualquer tempo é tempo demais.

Venho tomando o óleo há uns 5 meses. Há 3 meses, estou com um óleo mais concentrado e tomo no máximo duas gotas ao dia. Tenho tido melhores resultados com ele.

Tenho fibromialgia e fui diagnosticada com depressão, transtorno de humor há muitos anos.

Estava tomando medicamentos há mais de 20 anos, uso contínuo…Ainda assim com alterações drásticas de humor e muita dor sempre. Na coluna, cabeça, pernas e braços irradiados, dormência, urticárias, formigamento, infecções recorrentes, tombos … Uma vida interrompida por essas questões sempre. Ver esse ciclo se repetindo me trazia sofrimento imenso.

Há um ano lembro de pensar sentada na cama, chorando muito, em tirar minha vida.

Comecei Pilates, fisioterapia, acupuntura, uso do óleo de cannabis e mudei a alimentação . Dedico pelo menos metade do meu dia diariamente a todos os cuidados (financeiramente inclusive).

Estou bem. Não tenho sentido dores (como antes), as dores duram pouco quando vem, são pontuais, descanso as vezes resolve, me mexer também ajuda Da mesma forma, às vezes preciso apenas ficar sozinha, esvaziar a mente e esperar.

As crises que eu tinha na cervical e lombar pararam de acontecer. Da última vez, me recuperei em 3 dias de ficar com o pescoço travado. Até as palpitações que eu tinha se estabilizaram bastante.
Retirei todas as medicações (era um desejo antigo) e as reações adversas do uso de medicamentos são imensas (fiz com cautela e acompanhamento).

Perdi peso também. Estou começando a conhecer uma nova versão de mim e isso tem sido recompensador. Tem valido a pena.

Meu sono melhorou, assim como minha disposição, fadiga, intestino, apetite, raciocínio lógico e emocional.

Os benefícios são incontáveis e penso que ainda estou no início dessa caminhada, o que me anima bastante e me fortalece para continuar.

A dor é um lugar muito solitário, mas temos uma rede de apoio valiosa. O ativismo canábico é uma potente bandeira. Tenho profunda gratidão pelas pessoas que se dispõem a colar nessa luta pelo acesso ao uso, pelo compartilhamento das informações, pela legalização, com depoimentos, com a gestão de grupos e etc. Por todas as contribuições.

Não desistam de ficar bem. Todos merecemos ficar bem, não sofrer e não sentir dor. Não se acomodem com a ideia de um diagnóstico, tudo sempre tem a possibilidade de melhorar.

Estimo melhoras a todos e todas e gratidão imensa por toda a rede”.

A ReMederi não possui qualquer responsabilidade sobre o relato da paciente descrito acima. As informações contidas nessa página têm caráter informativo e não se classificam como acompanhamento médico. Não deixe de fazer acompanhamento médico.

COMECE SEU TRATAMENTO AGORA
blank

Autor

ReMederi

A Remederi é uma empresa brasileira de saúde, com a missão de promover qualidade de vida por meio do acesso a produtos, serviços e educação sobre Cannabis medicinal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress
remederi, anvisa

A REMEDERI preza pela saúde dos seus pacientes. Ancorados na transparência e lisura, estamos evoluindo para atender todas as regras sanitárias brasileiras da ANVISA e nos adequando à Portaria 344/1998 do MS e da RDC 96/2008, RDC 327/2019 e 660/2022.