Cannabis Medicinal

Conheça o primeiro bebê do mundo que passou por um teste de tratamento com cannabis

COMECE SEU TRATAMENTO AGORA

Um bebê recém-nascido que precisou ser submetido a uma cesariana de emergência no hospital da cidade de Norwich, leste da Inglaterra, se tornou o primeiro bebê do mundo a participar de um teste de tratamento com derivado da cannabis.

O estudo é o primeiro passo no que os pesquisadores disseram que um dia poderá levar a um medicamento derivado da cannabis a ser usado rotineiramente nos cuidados neonatais para ajudar bebês em risco de convulsões e lesões cerebrais.

Oscar Parodi nasceu inesperadamente em mau estado de formação e precisou ser transferido para a unidade de terapia intensiva neonatal.
Em matéria publicada pelo The Guardian, Chelsea Parodi, mãe do recém nascido, relatou:

“Após o nascimento, fui abordada sobre a participação neste estudo e consultei minha mãe e meu irmão que estão treinando para ser paramédico. Foi difícil, mas eu queria fazer tudo o que pudesse para ajudar meu bebê. Oscar ficou no hospital por nove dias e estava sendo monitorado 24/7. ”

Parodi disse que seu filho estava “indo extraordinariamente bem”.

O estudo está apurando se o medicamento é seguro e eficaz para diminuir o grau de lesão cerebral em bebês com a condição de encefalopatia isquêmica hipóxica neonatal (HIE).

Paul Clarke, consultor neonatologista do NNUH, informou que havia muita emoção na unidade de terapia intensiva neonatal.

“É a primeira vez que um medicamento derivado da cannabis é testado por via intravenosa em bebês humanos. Espera-se que seja bom para prevenir convulsões e proteger o cérebro de recém-nascidos com HIE.

Sempre tivemos um bom apoio de famílias que desejam participar de pesquisas em nossa [unidade] e elas costumam fazer isso de um ponto de vista altruísta para ajudar a beneficiar futuros bebês. Uma das atrações deste estudo para os pais é o monitoramento mais próximo dos bebês como parte do estudo, porque um monitor de ondas cerebrais mais avançado é usado para os bebês. Isso dá aos pais mais segurança de que qualquer convulsão será detectada. ”

Uma segunda criança, nascida em abril, também faz parte das pesquisas. Os recém nascidos recebem tratamento padrão de hipotermia para o HIE, onde todo o corpo é resfriado a 33,5 ° C, além de uma dose única do medicamento objeto do estudo ou placebo, seguido de alguns testes para medir os níveis do mesmo no sangue.

O estudo, no qual o medicamento é administrado por via intravenosa e no qual os primeiros bebês a participarem recebem apenas 30% da dose habitual, envolve outras unidades de terapia intensiva neonatal no Reino Unido e em outras partes da Europa e levará um ano para ser concluído.

Os bebês que participam da pesquisa receberão uma dose única do medicamento, ou um placebo, o mais rápido possível dentro de 12 horas após o nascimento.

O ingrediente terapêutico do medicamento é extraído da cannabis sob condições altamente controladas para garantir que o componente tetra-hidrocanabinol (THC), que causa uma efeitos psicoativos, seja mínimo.

O médico pesquisador Paul Clarke acrescentou:

“Como em qualquer estudo de um novo medicamento, pode haver efeitos colaterais inesperados e riscos desconhecidos. Com isso em mente, o estudo foi cuidadosamente projetado para torná-lo o mais seguro possível e, portanto, estamos apenas dando aos bebês uma dose minúscula no início, e os monitoramos ainda mais de perto do que o normal”.

COMECE SEU TRATAMENTO AGORA
blank

Autor

ReMederi

A Remederi é uma empresa brasileira de saúde, com a missão de promover qualidade de vida por meio do acesso a produtos, serviços e educação sobre Cannabis medicinal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress
remederi, anvisa

A REMEDERI preza pela saúde dos seus pacientes. Ancorados na transparência e lisura, estamos evoluindo para atender todas as regras sanitárias brasileiras da ANVISA e nos adequando à Portaria 344/1998 do MS e da RDC 96/2008, RDC 327/2019 e 660/2022.